• Zdjęcie Viagem Do século 03/04/2019
  • Zdjęcie Viagem Do século 03/04/2019

Czas  10 godzin 55 minut

Współrzędne 31634

Uploaded 20 września 2019

Recorded kwietnia 2019

-
-
238 m
26 m
0
221
441
882,79 km

Obejrzane 2 razy, pobrane 0 razy

w pobliżu Dalmacio Vélez Sársfield, Córdoba (Argentina)

De manhãzinha o movimento de caminhões já era grande e não tinha como continuar deitado. O jeito era levantar, guardei as coisas e tomei um todinho de café de manhã. Nem tirei muitas fotos desse trecho pois era um retão e nem dava pra ver a paisagem pois era tudo plano. Agropecuária forte e plantação de grãos. Agora dava pra ver melhor os alagados que se estendiam ao longo da pista, não sei se era a sazonal ou só fruto de uma forte chuva, mas achei interessante. Ali deve ser tipo o nosso pantanal, mas sem mato, só plantação. A água na beira da pista fazia até correnteza se juntando com mais água e formando lagos rasos que as vezes pareciam lagoas que invadiam as plantações. Algumas maquinas na beira da pista tentavam limpar o caminho da água pra socorrer as áreas mais alagadas.
Apesar de toda essa água o asfalto estava muito bom o que ajudou a render a viagem. Não perdi tempo nem tirando fotos, queria chegar logo no Brasil. Passei por Vila Maria, San Francisco, Santa Fé, Concordia, Passos de los Libres e finalmente Uruguaiana. A grana já havia acabado no ultimo abastecimento, sorte que não tive que pagar pedágio. Resolvi entrar no brasil por Uruguaiana pra evitar o trecho da ruta 14 famosa pelos guardas corruptos. No parque Perito Moreno conversei com dois brasileiros, pai e filho, que estavam viajando de moto também e me disseram que nesse trecho foram extorquidos em mais de 800 reais por isso fiquei com medo de passar por ali. Acabei chegando no brasil a noite, fiz a aduana e me senti novamente em casa apesar de estar a 1300km da minha casa de fato. Mas essa é uma sensação estranha, difícil de explicar. Entrar no Brasil dá uma alegria interna e vontade de cumprimentar todos na rua. A gente sempre reclama do nosso país, mas voltar é maravilhoso. Essa alegria durou pouco tempo, pois logo após fazer a aduana, a gasolina acabou em um lugar escuro e perto de uma favela bem feia que margeava a pista. A moto foi aos soquinhos até uma rotatória onde entrei pra direita em frente a um galpão grande e ali parou de vez. Rapidinho peguei o galão reserva e comecei a botar a gasolina no tanque, estava escuro e com a pressa de sair dali joguei mais gasolina fora do que dentro do tanque. Parou um carro do lado e me disse que ali era muito perigoso e não era uma boa ficar ali. Eu disse que acabou a gasolina, mas já estava resolvendo. O cara ficou parado do meu lado esperando eu terminar de ajeitar as coisas pra não me deixar ali sozinho. Quando terminei agradeci pelo apoio e sai dali. Fui até o posto mais próximo e perguntei pra frentista se poderia acampar por ali. Ela falou que não tinha problema. Era vários quilômetros de distância da favela e com muito movimento de caminhão. Ia montar barraca de baixo de um poste, mas uma mulher que estava ali trabalhando deu uma dica de que seria melhor pra dormir perto do restaurante que era menos movimentado, fui lá conferir e realmente era mais tranquilo. Aproveitei pra tomar um banho e jantar. Primeira comida de verdade que comi em quase 30 dias. O cara que inventou o self-service merece ir direto pro céu. Que delicia de comida, quanta opções de carnes e saladas. Puxa vida. Comi tanto que sai de lá até torto, pagando apenas 22 reais. Já era quase 10 horas da noite e ainda precisava resolver o problema da barraca quebrada. Tentei botar um parafuso dentro da vareta e usar ele de emenda, mas não aguentou a pressão e entortou igual maria mole. Dei uma volta por ali no pátio procurando o que seria útil pra aquela situação e encontrei uns entulhos de construção. Revirei e achei um pedaço de ferro de construção grudado num bloco de concreto. Consegui tirar fora o ferro e medi na vareta, se tirasse a parte quebrada do tubo interno, daria certinho. Perdi uns minutos, mas consegui empurrar o pedaço da emenda quebrada pro dentro da vareta e abrir espaço pra colocar o ferro de construção que achei. Ficou um pouquinho torto, mas resolveu o problema. Montei a barraca e finalmente consegui dormir.

Komentarze

    You can or this trail